Saúde na gravidez

Como controlar o peso na gravidez

Publicado por Daniela Cumerlato em 02/09/2014 às 12h19

peso na gravidez

Com a descoberta da gravidez, muitas mulheres pensam nas mudanças que o corpo irá sofrer. O ganho de peso é uma delas. O maior medo é de engordar demais e não voltar ao seu peso antigo. Durante a gestação é normal a mamãe aumentar alguns quilinhos, por isso é muito importante ter o controle desse aumento juntamente com um profissional.

Esse é um fator determinante para a saúde da mãe e do bebê. O ganho excessivo de peso pode gerar doenças como: obesidade, hipertensão, diabetes gestacional e parto prematuro. Para acertar no ganho de peso ideal durante a gestação, alguns profissionais recomendam que calcule com base no IMC inicial (antes de engravidar) de cada mulher.

IMC inicial de menos de 18,5 - ganho de peso ideal: 13 kg a 18 kg.
IMC inicial de 18,5 a 25 - ganho de peso ideal: 11 kg a 16 kg.
IMC inicial de 25 a 30 - ganho de peso ideal: de 7 kg a 11 kg.
IMC inicial acima de 30 - ganho de peso ideal: de 5 kg a 9 kg.

A gestação não é o momento para perder peso, nem para comer em excesso. A alimentação é um dos fatores mais importantes nesse controle. Ela deve ser saudável, balanceada e rica em nutrientes, assim não é necessário a mãe “comer por dois”. Evite alimentos calóricos, gordurosos e com muito açúcar. Se alimente de três em três horas. E procure a orientação de um nutricionista para melhor aconselhá-la.

Além da alimentação, é necessário um bom programa de atividades físicas, com exercícios posturais, de fortalecimento, de alongamento, aeróbicos e funcionais. Mas atenção, qualquer exercício físico deve ter seu volume e intensidade adequados para cada mulher, nessa fase é sempre bom algo leve e moderado.

Lembre-se sempre que é muito importante consultar um profissional e receber todas as orientações apropriadas para o seu físico. A ganha de peso adequada ajuda a melhorar o humor e autoestima durante a gravidez, reduzindo assim a ansiedade e o risco de depressão.


Fonte: Manual da Mamãe 2014

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

Os melhores exercícios físicos para gestantes

Publicado por Daniela Cumerlato em 25/08/2014 às 14h07


Exercícios físicos para gestantes

A prática de exercícios físicos é recomendada a todas as pessoas. Principalmente entre as gestantes, pois traz benefícios não só para as mamães como para os bebês também. Quando exercitam o corpo, as mulheres controlam o ganho de peso da gestação, melhoram a respiração, a circulação, o tônus muscular e a elasticidade da pele, contribuindo para o parto.

Além dos inúmeros benefícios físicos, contribui também para: diminuição de complicações obstétricas, risco reduzido de parto prematuro e de diabetes gestacional, redução da ansiedade, da depressão, do estresse, da oscilação do humor e aumento da autoestima e da autoimagem. E o contato com o próprio corpo beneficia a integração entre a gestante e o bebê, e o parto fica muito mais fácil e harmonioso.

Atividades mais adequadas e recomendadas pelos médicos

Alongamento: Ajuda a manter a musculatura relaxada e o controle da respiração.
Caminhada: Melhora a capacidade cardiorrespiratória e favorece o encaixe do bebê na bacia da mãe. Ideal caminhar três vezes por semana, cerca de 30 minutos por vez.
Ciclismo: Recomenda-se a bicicleta ergométrica para não ter o risco de cair e sofrer alguma lesão.
Pilates: Melhora a postura, evita dores lombares e fortalece os músculos das costas, preparando para o peso da barriga. Mas só recomendamos para quem já praticava antes da gravidez.
Yoga: Trabalha corpo e mente, ajudando no relaxamento da gestante. Assim como o pilates, só é recomendo para aquelas que praticavam antes da gravidez .
Hidroginástica: É a mais indicada, pois além de relaxar reduz dores lombares, nas pernas e o inchaço dos pés e mãos.
Drenagem linfática: Recomendada para evitar o aparecimento ou agravamento da celulite.
Natação: Melhora a capacidade cardiorrespiratória, diminui a resistência vascular renal e melhora o fluxo sanguíneo.

Para mamães que já praticam exercícios regularmente e estão autorizadas pelos seus médicos podem também optar por fazer:
Corrida: Melhora a capacidade cardiorrespiratória. Importante fazer o acompanhamento dos batimentos cardíacos, que não devem passar de 140 por minuto.
Musculação: Fortalece os músculos, melhora a postura e diminui as dores nas costas.
Ciclismo Urbano: Melhora no condicionamento físico. Não há restrições, salvo pela preocupação com quedas.

Exercícios físicos para gestantes

Atividades não aconselhadas e cuidados importantes

As atividades que normalmente são desaconselhadas por terem alto impacto ou contato físico, podendo ser prejudiciais são: Vôlei, Basquete, Futebol, Esqui, Hipismo, Mergulho, Tênis, Squash, Patinação e Ginástica Aeróbica.

Se a gestante resolver praticar exercícios sem antes consultar o médico, pode afetar sua saúde e do bebê. Entre os risco estão: Hipoxia (diminuição do oxigênio para a mãe e para o feto), Hipertermia (aumento da temperatura materna), Parto prematuro, Menor peso fetal, Diabetes gestacional e Aborto espontâneo.

Lembre-se que alguns cuidados são muito importantes, como usar roupas leves e frescas, se hidratar bastante e usar protetor solar para evitar manchas. Além disso, converse sempre com o seu médico para ser avaliada e saber qual é o exercício físico mais adequado para o começo da gestação e continue o acompanhamento ao longo da gravidez.


Fonte: Parabéns! Você está grávida (Dr. José Bento)

 

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (1)

Saiba como combater a celulite na gestação

Publicado por Raphaele Limas em 26/06/2014 às 11h37

Como combater a celulite

A celulite é resultado da ação de hormônios no organismo que provocam a retenção de líquido e problemas na microcirculação local. No entanto o fator genético também possui influência no aparecimento da celulite.

Os lugares do corpo em que há maior incidência de celulite são as nádegas e coxas, que ficam com um aspecto de casca de laranja.

Mas a futura mamãe não precisa se preocupar, existem diversas maneiras de combater a celulite, dentre elas realizar exercícios físicos leves, como natação e ginástica localizada suave. Os exercícios fortalecem os músculos das coxas e do bumbum, evitando a retenção de líquido, principal causa do incômodo.

Além disso, cuidar da pele também é fundamental para evitar o aspecto de casca de laranja. Realizar massagens com cremes hidratantes logo após o banho, pois facilita a absorção do produto pela pele, é outra ótima medida para combater a celulite.

É importante ingerir bastante líquido, pois auxilia no combate a celulite e ainda garante muitos outros benefícios na gestação. Combinando todas estas formas de combate, com certeza a futura mamãe irá se ver livre das celulites. 

Fonte: Parabéns! Você está grávida

 

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

O que é diabetes gestacional?

Publicado por Raphaele Limas em 25/06/2014 às 11h33

Diabetes gestacional

O diabetes gestacional pode ocorrer em qualquer mulher e é caracterizado pelo aumento do nível de glicose no sangue, o que é prejudicial ao bebê.

Isto ocorre, pois, devido aos hormônios, a placenta reduz a ação da insulina, que é responsável pela captação e utilização da glicose pelo corpo. Para compensar este quadro de redução, o pâncreas materno acaba aumentando a produção de insulina.

Quando o bebê é exposto a níveis altos de glicose ainda no útero, há maior risco de crescimento fetal excessivo, partos traumáticos, hipoglicemia neonatal, obesidade e diabetes na vida adulta.

Como não há qualquer tipo de sintomas, é importante que a gestante faça um exame de sangue com glicose em jejum e o teste oral de tolerância a glicose, por volta da 24ª semana de gravidez.

Algumas mulheres possuem maior predisposição em desenvolver a doença devido a fatores ligados à idade materna mais avançada, ganho de peso excessivo durante a gestação, sobrepeso ou obesidade, síndrome dos ovários policísticos, história prévia de bebês grandes (mais de 4 kg) ou de diabetes gestacional, história familiar de diabetes em parentes de 1º grau, história de diabetes gestacional na mãe da gestante, hipertensão arterial sistêmica na gestação e gestação múltipla (gravidez de gêmeos).

Caso a gestante venha a descobrir que tem diabetes gestacional, é importante que ela siga o tratamento. O controle é feito, geralmente, com uma orientação nutricional adequada, em que a futura mamãe ira ajustar os níveis de nutrientes em cada fase da gravidez, bem como praticar exercícios físicos.

As atividades físicas são importantes para a redução dos níveis glicêmicos, mas só devem ser liberadas se não houver risco de parto prematuro.

No entanto a futura mamãe não deve se preocupar, se ela realizar um tratamento adequado, tiver uma alimentação balanceada e praticar atividades física, ela terá um bebê cheio de saúde e verá seus níveis de glicose após a gestação diminuírem.

Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

Câimbras na gravidez

Publicado por Raphaele Limas em 20/06/2014 às 11h24

Câimbras na gravidez

As câimbras são um problema normal na gravidez enfrentado pela maioria das futuras mamães. Isto ocorre, pois a gestação é um período de mudanças e adaptações, que podem ocasionar em câimbras, principalmente quando a alimentação da mulher não for saudável.

Portanto é fundamental que a gestante tenha uma alimentação rica em alimentos com cálcio, como leite e ovos, em potássio, como banana e suco de laranja, além de frutas em geral e verduras escuras. Estes alimentos aumentam o nível de nutrientes e vitaminas no organismo da mulher, podendo ser distribuído em bons níveis para ela e para o bebê.

Uma alimentação saudável também auxilia a gestante a regular o peso, um dos principais fatores para evitar o surgimento das câimbras. O excesso de peso pode sobrecarregar os músculos, provocando as dores.

Além disso, gestantes que praticam atividades físicas com frequência costumam ter menos câimbras. Se você não pratica nenhum exercício físico, opte pelas caminhas de intensidade leve, hidroginástica, natação e realize alongamentos. Estes tipos de práticas auxiliam os músculos a suportar a sobrecarga do corpo.

As câimbras acontecem nas pernas, principalmente nas coxas e panturrilhas, mas também podem afetar a região da barriga e das costas. Portanto é importante prestar atenção na postura e tentar mantê-la correta.

Para aliviar as dores das câimbras, compressas com água morna ou banho quente e massagens são eficientes e ajudam a musculatura a relaxar.

A câimbra não oferece riscos ao bebê, nem à futura mamãe, mas é bom ficar atenta, se a dor for constante e muito intensa, provocar inchaços e sensibilidade, procure seu médico, pois pode se tratar de um quadro mais grave.

Fonte: Revista Pais&Filhos 

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

Rede pública oferecerá vacina contra coqueluche para gestantes

Publicado por Raphaele Limas em 17/06/2014 às 11h04

Vacina contra coqueluche gestantes

A rede pública de saúde oferecerá para a gestantes, a partir do segundo semestre, a vacina Tríplice Acelular (DTPa) que protege contra o tétano, a difteria e a coqueluche.

Segundo o Ministério da Saúde, a dose será oferecida gratuitamente a partir da 27ª semana de gestação. A distribuição gratuita possui o objetivo de diminuir a transmissão da coqueluche de mãe para filho e garantir proteção indireta nos primeiros meses de vida do bebê.

Depois de imunizada, a gestante produz anticorpos que são passados para o feto através da placenta. É importante também que pessoas da família que tenham contato frequente com o bebê sejam imunizados, já que a doença é transmitida por meio da respiração e da fala.

Mesmo quem já foi vacinado na infância deve ficar atento, pois o prazo de validade de imunização é de dez anos.

De acordo com o Ministério da Saúde, que atua conjuntamente com estados e municípios, a campanha pretende imunizar mais de 3 milhões de mulheres.

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

Nutrição e atividade física na gravidez

Publicado por Raphaele Limas em 13/06/2014 às 11h39

Nutrição e atividade física na gravidez

A nutrição e atividade física na gravidez são extremamente importantes para a saúde da mulher e do bebê e pela manutenção da qualidade de vida.

É muito importante que a gestante tenha uma alimentação regrada e uma cardápio variado, pois as alterações fisiológicas que acontecem na gestação interferem no metabolismo de todos os nutrientes, responsáveis pelo desenvolvimento fetal.

Já a atividade física, além de fazer bem ao corpo, ainda auxilia no aumento da autoestima e disposição da futura mamãe. No entanto a gestante que pratica atividades físicas deve consumir pelo menos 300 calorias por dia a mais do que as 300 calorias já recomendadas para a não ativa, no segundo e terceiro trimestre gestacional.

A hidratação também deve estar constantemente sendo monitorada, pois a falta de água no organismo pode levar a quadros de aumento da temperatura normal do corpo ou desidratação.

Os nutrientes e a atividade física

Carboidratos

São as principais fontes de energia utilizadas durante o exercício, por isto a dieta da futura mamãe deve conter significativas quantias de carboidratos antes e depois da atividade física.

Fontes: cereais (trigo, centeio, milho, aveia etc), tubérculos (batata doce, mandioca, mandioquinha, inhame, batata inglesa etc), frutas, mel, entre outros.

Proteínas

São responsáveis pelo desenvolvimento corporal, essencial na reparação e construção dos tecidos.

Fontes: carne vermelha, aves, suínos, peixes, frutos do mar, ovos, laticínios e as proteínas vegetais, como feijão, ervilha, lentilha, grão de bico e soja.

Lipídios

Devem ser consumidos em quantidades moderadas, para ter uma vida saudável e um desempenho satisfatório nas atividades físicas.

Fontes: sementes oleaginosas, sementes de chia e linhaça, peixes de água fria, abacate, açaí etc. 

Vitaminas e Minerais

São elementos importantes para as reações metabólicas, sistema imunológico e em especial para o rendimento da atividade física.

Fontes: frutas, hortaliças, vegetais, carnes, grãos, cereais etc.

Hidratação

A hidratação evita a fadiga muscular, o esgotamento físico, além de manter o equilíbrio do corpo.

Fontes: água, água de coco, sucos de frutas e isotônicos.

Fonte: Manual da Mamãe 2014

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

Homeopatia na gestação

Publicado por Raphaele Limas em 10/06/2014 às 11h52

Homeopatia na gestação

A homeopatia é uma terapia que possui o princípio de tratar o doente e não a doença, mas ainda é pouco conhecida no mundo das gestantes, apesar de apresentar inúmeros benefícios durante a gestação.

Os medicamentos homeopáticos são indicados na resolução de pequenos problemas, como náuseas, insônia, prisão de ventre, câimbras, hipertensão, ansiedade e vários outros incômodos que podem deixar a futura mamãe estressada e com dores.

Além de serem usados como forma de amenizar os desconfortos, os medicamentos homeopáticos também atuam na prevenção de algumas doenças que poderiam surgir sem um tratamento adequado.

O acompanhamento com um médico homeopata pode ser iniciado no primeiro mês de gravidez e persistir após o parto, pois a homeopatia ainda ajuda em fases, como o pré e pós-operatório, facilitando a cicatrização, diminuindo o sangramento e auxiliando em uma recuperação mais rápida para a futura mamãe.

Não há nenhum tipo de restrição no uso de medicamentos homeopáticos, pois não existem consequências toxicológicas, já que são diluídas em doses ínfimas.

Fonte: Manual da Mamãe 2014

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

Tonturas na gravidez

Publicado por Raphaele Limas em 06/06/2014 às 12h09

Tonturas na gravidez

O corpo da gestante passa por inúmeras mudanças ao longo dos nove meses e a cada trimestre ocorrem alterações hormonais, de peso, de volume sanguíneo, emocionais etc, que podem provocar as tonturas.

As tonturas e a perda de equilíbrio nada mais são do que a adaptação do corpo a estas mudanças. Estes desconfortos são bastante comuns e ocorrem com maior frequência quando a futura mamãe muda bruscamente de posição, em dias de calor, quando ela sente náusea ou se alimenta pouco.

A causa da tontura geralmente está associada a uma redução transitória do fluxo sanguíneo cerebral. E é no primeiro trimestre que este desconforto é mais comum, fase em que a mulher sente mais enjoos, a pressão arterial fica mais baixa e ocorre elevação hormonal.

Já com a evolução da gravidez, as tonturas podem ter outros fatores causadores, como o aumento do peso e a mudança do centro de gravidade, que altera o equilíbrio e o jeito de andar da futura mamãe.

Mesmo que a tontura e a perda de equilíbrio sejam comuns na gestação, seu obstetra deve ser avisado sobre os sintomas, para que, assim, ele possa acompanhar e analisar o quadro, pois há casos em que ocorre vertigem, desmaio e desconforto no peito.

Veja algumas dicas de como evitar as tonturas na gravidez:

- Mudar de posição lentamente;

- Evitar longos períodos em pé;

- Beber bastante água e alimentar-se de 3 em 3 horas;

- Evitar calor excessivo;

- Deitar preferencialmente do lado esquerdo;

- Na ocorrência dos sintomas, recomenda-se deitar com as pernas elevadas;

Fonte: Revista Materlife

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

Ioga na gestação

Publicado por Raphaele Limas em 04/06/2014 às 11h01

Ioga na gestação

Praticar ioga na gestação pode contribuir, e muito, para a mulher ter uma gestação tranquila e sem estresse. Isto porque, os benefícios da ioga são inúmeros, dentre eles, diminuir a ansiedade.

A ansiedade parece ser um problema comum para muitas pessoas, mas durante a gestação ela pode provocar um parto prematuro, baixo peso do bebê ao nascer e problemas de desenvolvimento na infância.

A prática é proveniente da filosofia oriental e busca saúde por meio da respiração e exercícios corporais. Além de melhorar a postura, prevenir dores nas costas, preparar a pelve para o parto, a ioga possibilita momentos de reflexão por parte da futura mamãe durante os exercícios, melhorando sua autoestima e deixando-a mais segura.

Outros benefícios da ioga estão relacionados a diminuição do inchaço, devido aos exercícios de respiração, que aumentam o funcionamento dos rins e dos batimentos do coração, contribuindo também para o aceleramento da circulação sanguínea.

Apesar de todos estes benefícios, a gestante que quiser praticar ioga deve ter o aval do seu obstetra, pois há algumas posições e tipos de respiração que podem prejudicar a gestação e o bebê.

Para garantir todos os benefícios da ioga, se ver relaxada e livre de tensões e ansiedade, a futura mamãe deve praticar as aulas por, pelo menos, duas vezes por semana.

Fonte: Revista Cescer

Categoria: Saúde na gravidez
Comentários (0)

left show tsN fwR|left tsN fsN normalcase bsd b01s fwR|left show fwR fsN normalcase bsd b01s|bnull||image-wrap|news normalcase c10|fsN fwR c10 normalcase|b01 c05 bsd|login news fwR c10 normalcase|tsN fwR normalcase b01 c10 bsd|fwR normalcase c10|||